Violência nas escolas pode ser um reflexo do mau relacionamento no lar

  • Posted on janeiro 18, 2012 at 0:47

Todos os anos as estatísticas de violência nas escolas a nível mundial, mostra um quadro triste e sombrio, onde retratam casos como os deViolência nas escolas um mau a combater alunos da América do norte que efetivaram diversos disparos matando e ferindo alunos e logo após buscaram “refúgio” no suicídio, caso semelhante ao que ocorreu no Brasil em uma escola do Rio de Janeiro, com exceção que o aluno só parou de atirar após ser baleado por um soldado da polícia militar.

Mas a violência nas escolas não alcança extremos como citamos acimaViolência nas escolas reflexo do bulling da noite para o dia, pois existem várias ações que podemos classificar como violência, que inclusive muitas delas geram sujeitos muito mais violentos com o passar do tempo. Sabemos muito bem que o bullying tem sido um dos grandes vilões nas escolas, afinal esta palavra abrange várias formas de violência, como piadas com fisionomia de alguém, dar apelidos, perseguições, ameaças, etc. Onde está a solução para este problema então? Será necessário colocar câmeras em todas as escolas? Manter um oficial de polícia em cada instituição de ensino? Fazer revistas sistemáticas nos alunos?

Na realidade, existe uma imagem distorcida em relação as instituições de ensino no Brasil, pois apesar de não oferecer uma estrutura adequada aos alunos de todas as idades, não é de responsabilidade das instituições de ensino o comportamento dos alunos que as freqüentam, principalmente a violência nas escolas. O principal fator da degradação, rebeldia e mau comportamento, vem da principal instituição de uma sociedade, a família. Afinal, se os pais não dedicam tempo para preocupar-se com seus filhos em todos os aspectos, com certeza nossas escolas sempre terão graves problemas.

Presentear os filhos com computadores, celulares e videogames de última geração não é educação, mas pode fazer parte dela quando realizada de forma sábia. O problema é que se a família não conversa mais e cada um busca seus próprios interesses, principalmente os pais, o afeto e respeito que deveria haver entre ambos, cai por terra e os filhos estarão sujeitos a serem educados por má influência de “amigos”, de jogos violentos, de programas de televisão, sites de relacionamento, etc.

 

Deixe uma resposta