O que é arte segundo a realidade histórica

  • Posted on junho 28, 2012 at 17:00

Quando ouvimos falar em arte já imaginamos os belos quadros e esculturas que são frutos do movimento renascentista, e em consequência disto nos vem a memória grandes nomes, como Leonardo da Vinci que miscigenou sua arte junto à ciência, Michelângelo, Donatello e muitos outros. Mas é preciso crescer nosso conceito sobre o que é arte, afinal, milênios antes do movimento renascentista surgir, os povos primitivos já exerciam suas habilidades em relação à arte em várias partes do planeta, o que ainda pode ser visto até hoje por meio das pinturas rupestres, dos artefatos em barro, ferro, bronze, prata, etc. Cada achado na arqueologia e em cada nova manifestação artística seja por meio de pintura, escultura ou música, comprova que a arte possui diversas faces que vão desde as pinturas em cavernas e em vasos, até nossos dias onde vemos os grafiatos em muros.

Alguém escreveu certa vez num muro “Pixar é arte, correr faz parte”. Provavelmente quando escrevemos ou desenhamos algo na propriedade de alguém sem a sua autorização, o que é arte na cabeça de quem fez, se mostra um crime e atitude de vandalismo para quem sofreu esta ação. Ao estudarmos melhor sobre o que é arte, veremos que a cada período da história e em todos os povos, tribos e nações surgiram diferentes manifestações artísticas, onde por meio delas sempre retrataram o seu dia a dia social. Nas pinturas rupestres vemos os povos primitivos pintavam seus dias de caça, os egípcios registraram sua arte religiosa ao esculpirem gigantescas esfinges e erigirem pirâmides, os gregos eternizaram a arquitetura que mais tarde seria chamada de estilo Greco-romano, pois os romanos copiariam muitas coisas deles. Já os romanos, buscaram por meio da urbanização retratar a arte em seus momentos de glória, onde muitos de seus imperadores foram esculpidos como deuses entre os homens. Como os mesopotâmios, romanos e gregos, as gerações seguintes até nossos dias continuaram a mostrar o comportamento, seja nos momentos de festa, comportamento político, ou os retratos da dor apresentados em guerras.

Deixe uma resposta